Buscar
  • AV Corporate

4 dicas de higiene bucal para colocar em prática

Atualizado: 25 de jun. de 2020

Uma pesquisa relacionada à higiene bucal, feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em parceria com o Ministério da Saúde, levantou que apenas 18,5% das pessoas entrevistadas têm um plano de saúde odontológico. Também se descobriu que, das pessoas que não têm seguro, 4,2% escovam os dentes apenas uma vez por dia, prática prejudicial.


Esses números, divulgados pela revista Saúde, ilustram um cenário preocupante. Afinal, ter uma boa higiene bucal é essencial para barrar o surgimento de diversas doenças, como cáries, doença periodontal, gengivite etc.


É essencial ressaltar que cada boca possui uma anatomia e, portanto, características mecânicas, elétricas, químicas e físicas diferentes. Daí surge a importância das visitas aos profissionais da área, mesmo que o estado bucal se encontre em condições sadias, pois eles são capacitados para delimitar os produtos mais adequados para cada caso.

Essa prática evita que os pacientes tenham gastos desnecessários e, pior que isso, usem produtos que não condizem com a sua situação bucal, o que pode eventualmente causar algum tipo de prejuízo a si mesmo.


Você tem feito uma boa higiene bucal? Em caso negativo, confira as nossas dicas e reverta essa situação. Vamos lá :


1. Use o fio dental


Uma boa higiene bucal sempre começa com o uso do fio dental. Muitos pacientes questionam a falta de tempo para passar o fio, já que a pressa pode causar sangramento e até pequenas feridas na gengiva. Se possível, use sempre antes de escovar os dentes, tire de dentro da gengiva os resíduos alimentares e deixe que a escovação faça o restante do trabalho, eliminando boa parte das bactérias.

Caso a correria do dia a dia atrapalhe, não deixe nunca de usar o fio dental antes de dormir, se não as bactérias farão uma festa de aproximadamente 7 horas em sua boca, até você fazer a próxima escovação.

Sempre tente entrar com o fio bem encostado nos dentes, sem forçar a linha contra a gengiva. Para dentes mais apertados, use a fita que desliza facilmente. Para dentes mais espaçados, use o fio, pois ele é um pouco mais grosso.


2. A escolha da ESCOVA e a ESCOVAÇÃO


A escovação é o principal meio para garantir uma higiene bucal em dia. Para realizar esse processo de forma correta, o primeiro passo a ser dado é escolher uma boa escova.

Via de regra, o tamanho dos dentes acompanha a estatura do indivíduo. Logo, pessoas com estatura mais baixa tendem a ter dentes mais curtos e devem comprar escovas com “cabeças” menores, isso evita que as cerdas faceiem a gengiva e a machuquem. Sendo assim, pessoas mais altas possuem dentes mais compridos e podem comprar escovas com a “cabeça” mais comprida. O ideal para a grande maioria dos casos são escovas com cerdas macias ou extra macias, para não machucar a gengiva.


A escovação deve ser feita de forma delicada e em movimentos circulares ou movimentando a escova na mesma direção da gengiva. Na parte superior, faça movimentos de cima para baixo, e na parte inferior debaixo para cima , na parte interna e externa dos dentes.

Também é indicado escovar a língua, para remover bactérias e evitar o mau hálito ou adquirir um raspador lingual, para remover o que os dentistas chamam de saburra lingual (bactérias e fungos). Os dentes devem ser escovados pelo menos três vezes ao dia ou logo após uma refeição ser realizada.


3. Visite o seu dentista periodicamente


Para garantir a saúde e a higiene bucal, recomenda-se uma visita ao dentista uma vez a cada seis meses. Essa revisão é importante para que o profissional possa fazer uma limpeza e avaliação do seu sorriso.

Além de identificar doenças precocemente, o especialista poderá dar orientações específicas para você. Assim será ainda mais fácil ter uma saúde bucal excelente.


4. Cuidado com os enxaguantes bucais


Assim como outros sistemas que compõe o corpo humano, a boca, que faz parte do sistema digestivo, também possui uma microflora, ou seja, um ambiente com bactérias específicas que estão ali para manter o equilíbrio.

Os enxaguantes bucais possuem diversos elementos químicos (clorexidina, álcool, triclosan, flúor), que matam estas bactérias desordenadamente e os enxaguantes não têm a capacidade de selecionar as bactérias deletérias e fungos presentes na microflora, matando assim espécies que deveriam estar ali para manter um equilíbrio.

Logo, o uso indiscriminado de enxaguante não é recomendado, salvo exceções de casos específicos que o próprio profissional indicará. Do contrário, é possível deixar a boca seca, causar descamação de tecidos moles, pequenas lesões e ainda provocar desequilíbrios na microflora e no estômago, caso o paciente engula um pouco do líquido.


E então, nossas dicas foram úteis para você ter uma boa higiene bucal? Esperamos que possa ter aprendido mais sobre o tema, que é muito importante para a saúde.

Continue conosco e leia agora o nosso artigo que fala sobre clareamento dental caseiro.


Artigo por : Dr. Alexandre L. Alves ( Veja o currículo do profissional )


#dentista #dentistaemsãobernardo #dentistaSBC #limpezadosdentes #higienebucal #escovadedente #dicas #fiodental #odontologia #saúdebucal


Compartilhe este artigo nos ícones abaixo e ajude outras pessoas

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo