Buscar
  • AV Corporate

Doença periodontal: O que é e quais são os sintomas?

Atualizado: 25 de jun. de 2020

Doença periodontal

Artigo por: Dr. Arthur Galassi ( Veja o currículo do profissional )


Você já ouviu falar sobre doença periodontal? Pode parecer que queremos te assustar, mas esse é um tipo de enfermidade muito comum no Brasil, são cerca de 2 milhões de casos por ano, você sabia?

É por isso que hoje falaremos sobre esse assunto. Mostraremos aqui o que é a doença periodontal e quais são as principais formas de evitá-la. Vamos lá?


O que é doença periodontal?


Ao pé da letra a doença periodontal ocorre em torno dos dentes e pode acometer crianças e adultos. Ela está associada à falta de hábito de higienização bucal. Normalmente, aparece por meio de infecção por bactérias, afetando desde o dente até o osso. Um dos principais motivos que levam ao aparecimento dessas enfermidades é um excesso de placa bacteriana, uma película que se forma sobre os dentes. Existem outros fatores que podem estar associados a isso, como a diabetes, o estresse constante, o ato de fumar e muitos outros.

Por isso, se faz necessário ir ao dentista com uma determinada frequência, a fim de evitar que a sua saúde bucal passe por um dos três estágios da doença periodontal. É importante ressaltar que apenas um especialista pode fazer um diagnóstico.

Quais são os estágios da doença periodontal?


Como comentamos anteriormente, a doença periodontal é dividida em três estágios, que vão desde a gengivite até a periodontite avançada.


Gengivite:


Caracterizada pela inflamação na gengiva, causada pela placa bacteriana, esse é o primeiro estágio. Em um primeiro momento, essa placa pode ser removida com a escovação e o uso do fio dental, ou seja, com a higienização bucal regular e adequada.

Mas, se isso não for o suficiente, ocorre a produção de toxinas capazes de irritar o tecido gengival e provocar a gengivite.

Aqui, os danos ainda são reversíveis, considerando que o osso e o tecido que segura os dentes não foi prejudicado.

Periodontite:


Nesse momento, o estágio é mais complicado. O osso e a fibra de sustentação dos dentes já estão danificados. Aparece uma bolsa ao redor da gengiva, com detritos e a placa bacteriana. Os danos precisam ser contidos por meio do tratamento adequado para minimizar os problemas.


Periodontite avançada:


Esse é o último estágio, e consequentemente, o mais grave. A sustentação dos dentes foi completamente perdida. Sem os ossos e fibras que os mantém fixos, os dentes acabam mudando de lugar e ficando mais frágeis. Tudo isso afeta a mordida e, em casos mais sérios, pode ocasionar a perda dos dentes.


Quais são os sinais e sintomas dessa doença?


A doença periodontal pode ter diversas origens, mas está geralmente associada a um processo infeccioso causado por bactérias. Alguns dos sinais clínicos mais comuns são:

  1. Gengivas sangrando (ao escovar os dentes, usar fio dental, comer, etc.);

  2. Gengivas inchadas e avermelhadas;

  3. Retrações gengivais (alongamento dos dentes e raiz exposta);

  4. Acúmulo de cálculo e placa bacteriana aparente;

  5. Pus em torno dos dentes e da gengiva;

  6. Aspecto de descolamento da gengiva;

  7. Afrouxamento dos dentes;

  8. Mau hálito;

  9. Sensibilidade nos dentes.

Nem sempre a doença periodontal provoca dor. Exatamente por isso é preciso prestar atenção aos sinais listados acima. Dessa forma, é possível detectar a doença o quanto antes.


Leia também: Limpeza dos dentes: Com qual frequência devo ir ao dentista?


Atenção especial para:

  1. Histórico familiar de perda precoce dos dentes;

  2. Doenças sistêmicas pré-existentes como: Diabetes, Osteopenia, Osteoporose e alterações hormonais;

  3. Efeitos colaterais provocados pelo uso de medicamentos usados constantemente;

  4. Fumantes ou pessoas que fumaram por muitos anos;

  5. Gestantes.

Quais são as formas de evitar?


A higiene bucal é a principal forma de evitar a doença periodontal. Com atitudes simples no dia a dia, como:

  1. Escovar os dentes corretamente ao menos 3 vezes ao dia;

  2. Utilizar o fio dental diariamente;

  3. Lançar mão de enxaguantes bucais com agentes microbianos. Eles ajudam a eliminar as bactérias;

  4. Ao fazer a higiene bucal, verifique se há alguma anormalidade, tanto na cor como na aparência do dente, das gengivas, da língua e de todo o tecido gengival;

  5. Realizar visitas periódicas ao dentista, para limpezas e exames. Assim, o especialista consegue visualizar possíveis problemas e dar início aos tratamentos.

Tratamentos disponíveis


Os tratamentos para a doença periodontal consistem em raspagem mecânica e equipamentos ultra-sônicos, com abordagens cirúrgicas e não-cirúrgicas, de processos de descontaminação química e uso do que há de mais moderno, como a laserterapia.

Outras abordagens contam ainda com enxerto ósseo, estímulo para reconstrução dos ligamentos dentais, enxertos gengivais (ganho tecidual) e gengivoplastia (remoção tecidual).

Também há tratamentos de patologias que atingem os implantes. São situações similares ao que acontece com os dentes, porém com algumas particularidades.

Lembramos que algumas condições bucais também interferem na evolução da doença periodontal, por isso a importância de uma clínica multidisciplinar preocupada em relacionar todas as áreas odontológicas. Falta de dentes interfere na perda óssea da região e gera sobrecarga dos outros dentes, por isso o implante é importante para reabilitar os dentes perdidos.

Algumas infecções podem ter origem periodontal e endodôntica, ou seja, se originando no canal do dente, necessitando assim do tratamento de canal simultaneamente.

A clínica conta com profissionais especialistas e com os melhores e mais modernos equipamentos para realizar tratamentos seguros e eficientes, visando restabelecer a saúde do paciente.


Dr. Arthur de Rezende Galassi ( Veja o currículo do profissional ) Cirurgião-Dentista Responsável pelo setor de Periodontia AV Corporate

#saúdebucal #tratamentodentário


Compartilhe este artigo nos ícones abaixo e ajude outras pessoas

14 visualizações0 comentário