Buscar
  • AV Corporate

AS 7 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES SOBRE O TRATAMENTO COM FACETAS LAMINADAS E LENTES DE CONTATO DENTAIS

Atualizado: 14 de set. de 2020


1 - Qual é a diferença entre faceta e lente de contato?

O tipo de cerâmica utilizado pode ser o mesmo para ambos. A diferença entre os dois tipos de materiais é apenas a espessura. As facetas podem variar de 0.8 a 1.7 mm e normalmente exigem um desgaste maior no dente (isso é muito relativo e varia de caso a caso), principalmente para os casos de dentes escurecidos.

As lentes de contato variam de 0.2 a 0.8 mm de espessura e por isso, exigem um desgaste menor ou nenhum desgaste. O que define quando uma ou outra será utilizada, é o tamanho da discrepância ou desgaste que o dente já sofreu (dentes mal posicionados, cariados, desgastados e outros) e a quantidade de material necessária para corrigir essa diferença entre o dente restaurado e o alinhamento correto do sorriso.


2 - Quando devemos optar por uma restauração direta em resina ou uma faceta/lente?

Na verdade o que determina a utilização da Resina ou Cerâmica na Reabilitação do paciente é justamente o tamanho da discrepância que existe. Por exemplo, se o paciente possui um espaço muito grande entre dois dentes que deve ser preenchido pelo material, a opção será a cerâmica. Caso o espaço entre os dentes (termo técnico: diastema) seja muito pequeno, a discrepância pode ser corrigida com uma restauração direta em resina, que pode ser feita em uma consulta.


3 - Quais os benefícios dos tratamentos com Cerâmica?

Como já citado anteriormente, as Cerâmicas e seus respectivos sistemas de cimentação, tiveram um avanço tecnológico muito grande, transferindo muito mais segurança e praticidade aos tratamentos. Com isso, podemos dizer que a velocidade de finalização dos casos é muito mais rápida e a resistência e longevidade clínica aumentou muito. Além disso, o brilho das cerâmicas após a cimentação é muito similar a de um dente natural, o que deixa o sorriso muito mais harmônico.

Vale ressaltar também, que a resina perde muita cor com o tempo e acaba escurecendo, devido a sua alta porosidade. A porcelana não perde cor com o tempo.


Leia também: Clareamento Dental Caseiro é uma boa ideia?

4 - Existe alguma contra-indicação?

Existem casos em que as facetas de maneira geral estão contra-indicadas. Isto vale tanto para a resina, quanto para a cerâmica.

São os casos em que a perda de tecido natural do dente seja tão grande, que não possua suporte suficiente para dar suporte a um material tão fino. Para estes casos, deve-se estudar a possibilidade de pinos e coroas totais, mas que também podem ser executados com cerâmica pura .

Casos de gengivite e periodontites frequentes (crônicas), bruxismo e apertamento intenso, não são impedimentos, porém serão grandes obstáculos, tanto para o profissional, quanto para o paciente e por isso, deve ser planejado minuciosamente.


5 - Como é feito o tratamento?

Obviamente assim como toda Reabilitação Oral, o profissional necessitará de exames radiográficos para complementar a avaliação clínica. Após a avaliação radiográfica (que pode ser feita na clínica ou em radiologia) e clínica, o especialista fará uma tomada de fotografias e moldagens de estudo para analisar as opções de tratamento mais viáveis para o caso. Após a definição da alternativa de tratamento, o Dentista usará o modelo de estudo para uma Ceroplastia ou Enceramento Diagnóstico, isto é, uma montagem com cera, prevendo o resultado final do tratamento, com o tamanho e formato final dos dentes finalizados. Em seguida, o formato obtido pelo enceramento será transferido para a boca com um material provisório.

Desta forma o paciente também poderá opinar no tamanho, formato e cor dos dentes. A partir daí, serão executados os preparos e moldagens de trabalho para a obtenção das peças definitivas, que terão o mesmo padrão do enceramento.

Obviamente que o processo acima descrito está resumido, mas em suma, não é um tratamento longo e pode demorar de 3 a 4 sessões para chegar a um nível de excelência .


6 - Existe algum risco das próteses caírem?

O risco de estas próteses soltarem é muito, muito baixo, tendo em vista que os sistemas de cimentação química encontram-se num estágio muito avançado em termos de adesividade química. No entanto, assim como um dente natural, estão susceptíveis a fraturas com traumas e com hábitos parafuncionais como bruxismo, apertamento, onicofagia (roer unha), morder tampas de canetas e outros.

7 - Quais os cuidados que devem ser tomados pra não prejudicar as facetas, nem as lentes?

Os cuidados serão basicamente os mesmo dos dentes naturais. A utilização de fio dental e escovações diárias devem se tornar regras. Além disso, devemos ressaltar que as visitas ao dentista é muito importante para identificar possíveis ameaças as próteses, como: desgastes excessivos, formação de cálculos salivares, contatos prematuros (quando o dente fica “alto” e a força da mordida incide somente nele).



Autor : Dr. Alexandre L. Alves ( Veja o currículo do profissional )

287 visualizações0 comentário