Buscar
  • AV Corporate

As 7 fases do Desenvolvimento Bucal Infantil

Atualizado: 3 de jul. de 2020

1ª Fase - Período de 0 à 6 meses

Neste período do Desenvolvimento Bucal Infantil, o bebê ainda não terá a erupção de nenhum dente, porém existem algumas características importantes que os pais devem se atentar. A mais importante está relacionada com a limpeza da gengiva, que pode ser feita com gaze ou fralda umedecida em soro fisiológico ou água filtrada, após a amamentação, principalmente no período noturno, pois durante o sono diminui o fluxo salivar e os resíduos podem permanecer na boca. Também podem ser usadas as dedeiras de silicone, que higienizam e massageiam a gengiva.

Vale ressaltar que as mamadeiras também precisam ser higienizadas. Além disso, podem ocorrer manifestações orgânicas, tais como inflamações gengivais localizadas, diminuição do apetite, irritabilidade (por conta da formação dos dentes de leite que irão irromper), aumento da temperatura corporal (febre) e aumento da salivação.

Ainda sobre a salivação, vale dizer que os babadores e toalhinhas desempenham papel importante, evitando que a saliva entre em contato com a pele, causando irritações, devido ao grande número de bactérias.

2ª Fase - Erupção dos primeiros dentinhos – 6 a 24 meses

Com início do ciclo de erupções dos dentes de leite, o bebê pode ficar ainda mais irritado e o choro pode ser mais frequente, por conta do aumento da vascularização local. Para amenizar o desconforto dos pequenos, o mercado infantil oferece uma série de mordedores ortopédicos, que serão essenciais para diminuir a dor e principalmente iniciar a prática da mordida, trabalhando inclusive a musculatura dos pequenos.

Quando o bebê está inquieto, ele pode morder os dedinhos e até os lábios, podendo se ferir. Mas, com um aparelho apropriado, a mãe pode TROCAR este hábito, pelos mordedores

Esta também é uma fase importante do desenvolvimento bucal infantil, pois é aqui onde se inicia a escovação com o aparecimento dos dentes de leite, e sobre isso, podemos ressaltar:

O uso de escovas infantis de cerdas extras macias;

Creme dental deve ser SEM FLÚOR nesta fase, pois o bebê ainda não tem a capacidade de cuspir e pode engolir um produto, que pode causar distúrbios no sistema nervoso e endócrino (saiba mais sobre a toxicidade do flúor)

A gota de pasta dental na escova deve ser como um grão de mostarda;

Faça a escovação logo após as amamentações ou refeições do bebê. Lembre-se que as bactérias agem rapidamente se alimentando dos resíduos alimentares;

Dicas rápidas:

- Tente tornar a escovação em algo lúdico e prazeroso, para que isso não se torne um inconveniente ao longo do tempo;

- Nesta fase é MUITO IMPORTANTE que os pequeninos já estejam passando por avaliações ou ao menos acompanhando os pais nas visitas ao dentista (saiba mais sobre o medo da 1ª visita ao dentista);




3ª Fase - Dentição Decídua ou de Leite Completa – 2 à 4 anos


De acordo com as tabelas de cronologia dental, neste estágio a criança estará finalizando a erupção dos dentinhos de leite. Logo, as refeições ficam mais consistentes e número de escovações por dia deve aumentar. Sobre esta fase do Desenvolvimento Bucal Infantil, devemos salientar o seguinte:

A criança já terá a capacidade de cuspir, logo, converse com o dentista a possibilidade de inserir uma pasta com flúor (desde que haja a certeza de que a criança esteja cuspindo a pasta);

MUITO CUIDADO com pastas de ‘'gostinho'' bom, isso incitará a criança a engolir o produto;

Consulte o profissional para que ele indique um produto adequado, que não agrida os dentes ou a mucosa;

As escovas temáticas, com personagens despertarão mais o interesse da criança;

A alimentação adequada também será essencial. Produtos altamente processados (bolachas, salgadinhos, pirulitos, chicletes, balas) devem ser evitados, pois além de não serem nutritivos, também podem agredir a cavidade oral com sua acidez;

4ª Fase - Dentição Mista com a chegada dos permanentes – 5 à 7 anos


O período da chegada dos permanentes é algo muito particular, portanto pode ocorrer antes ou depois das tabelas padronizadas. Via de regra, entre 5 e 6 anos é quando se inicia a troca. Para esta fase do Desenvolvimento Bucal Infantil, vale ressaltar:

A inserção do uso do fio dental aos hábitos da criança. Se necessário, peça ao dentista para ensinar à criança a maneira mais fácil para ela se habituar;

Se possível inserção do uso do raspador lingual, que é uma excelente opção para a higienização da língua, ao invés dos cabos de escovas dentais;

Essa fase é de importância essencial no desenvolvimento da consciência sobre a saúde bucal.

Um estudo publicado na Revista Brasileira de Enfermagem, por exemplo, demonstrou que o estímulo lúdico elevou a taxa de escovação dental correta de 4,4% a 8,5% em uma unidade pré-escolar.

5ª Fase - Cuidados permanentes – Acima de 8 anos

Neste período, a criança ainda possui alguns dentes de leite (Veja a tabela de cronologia abaixo), no entanto, com esta idade, ela já deve estar habituada a higienizar a boca, mas provavelmente precisará de supervisão. Fiquem atentos.

TABELAS DE CRONOLOGIA



ATENÇÃO: esse pode ser um momento crucial para uma visita ao dentista, pois ele irá indicar a necessidade de algum aparelho ortopédico , caso haja alguma disfunção muscular ou óssea;

Orientação e supervisão são essenciais neste momento para correção de hábitos nocivos também;

Frise as consequências que a falta de higiene bucal pode acarretar no futuro;

Observe se as refeições tenham alimentos ricos em cálcio para o fortalecimento das partes ósseas do corpo, consequentemente dos dentes;

Fiquem atentos com o consumo excessivo de doces, balas, bolachas e refrigerantes, fontes de alta concentração de açúcar;

6ª Fase - Fim do ciclo dos dentes de leite (decíduos)

Conforme a tabela de cronologia, o fim da dentição decídua no desenvolvimento bucal infantil deve ser por volta dos 11 ou 12 anos de idade. Vale informar novamente sobre a importância da avaliação sobre a necessidade do uso de algum tipo de dispositivo ortodôntico.

Devemos lembrar que na adolescência, o crescimento ósseo ainda não está finalizado, portanto a estrutura ainda não está totalmente compacta, permitindo que os tratamentos sejam mais rápidos, do que quando o adolescente se torna um adulto jovem.

7ª Fase - Chegada dos dentes do SISO

A erupção dos dentes do Siso pode ocorrer entre os 16 e 18 anos de idade. No entanto, como o dente se movimenta dentro da estrutura óssea para sua erupção, ele pode ocasionar dores intensas mesmo antes dos 16 anos (principalmente para mulheres, cujo crescimento normalmente é mais rápido).

Quando as dores intensas acontecem mesmo antes dos 16 anos, pode-se estudar a possibilidade da extração, já que as raízes ainda não estão 100 % formadas, o que teoricamente facilitaria a extração deste dente, dependendo do caso.

O paciente precisará de uma radiografia panorâmica, para que o Cirurgião ou o (a) Ortodontista possam avaliar a possibilidade de extrair o dente ou de aguardar que o dente esteja melhor posicionado, para diminuir a complexidade da cirurgia.

Lembrando que a extração do siso é considerada uma cirurgia de pequeno porte, mas deve ser levada a sério pelo paciente, que deve tomar as medicações e seguir as orientações, para evitar pós-operatórios indesejáveis. Não é sempre que se deve extraí-los, mas na maioria dos casos isso acontece, pois por estudos científicos a eficiência mastigatória deste dente é muito baixa, tendo em conta que a região é muito posterior. Além disso, o dente acaba se tornando um foco de bactérias.

Esperamos ter ajudado com as informações. Para informações detalhadas, entre em contato conosco.



Autor : Dr. Alexandre L. Alves ( Veja o currículo do profissional )

25 visualizações0 comentário